Você esta em

Notícias

CONTRA A ABERTURA DE NOVAS FACULDADES DE ODONTOLOGIA NO ESTADO

O Conselho Regional de Odontologia do Rio Grande do Sul (CRO/RS) vem a público para ratificar, que repudia veementemente a autorização da abertura de mais um curso de graduação em Odontologia, no Estado, visto que este fato não oferece benefícios aos profissionais, tampouco à população.

Hoje, o Rio Grande do Sul dispõe de 17.331 mil cirurgiões-dentistas, o equivalente a 147 profissionais por 100 mil habitantes. Destes, 36% estão na Capital, que concentra apenas 13% da população – este também é o local de abertura do novo curso. Mesmo frente a estes números expressivos, o Governo Federal – através do MEC - autorizou a abertura de outro curso de Odontologia.

Um novo Curso impulsiona o aviltamento da Odontologia, prática combatida constantemente pelo CRO/RS. O Governo, ao apoiar a proliferação indiscriminada de novos cursos, banaliza as necessidades da população. Esta se torna vítima de um péssimo atendimento em saúde bucal e da queda na qualidade da educação. São mensalidades caras e cursos precários, que visam atender necessidades políticas e econômicas de empresários do ensino.

O CRO/RS vê tal decisão, como um retrocesso e desrespeito com a classe, e reafirma sua posição contrária à criação de novos Cursos. Por sua vez, a Autarquia considera essenciais o apoio na luta contra o aviltamento profissional e a implementação de novas políticas públicas de atenção à saúde bucal para população.

Aspecto legal

Em novembro de 2017, o Conselho Federal de Odontologia (CFO), encaminhou um ofício ao ministro da Educação, na época Mendonça Filho, solicitando a suspensão de autorizações para abertura de novos cursos no País, por um período de cinco anos. Mesmo a solicitação já sendo de conhecimento do Ministério da Educação (MEC), neste ano, 2018, um novo ofício foi enviado a Mendonça Filho, reafirmando a importância da suspensão.

Realidade do mercado

A abertura de novos cursos NÃO resultará um maior acesso da população aos profissionais de Odontologia, visto que hoje, o Brasil é o país com maior número de cirurgiões-dentistas, e cursos de Odontologia do mundo. Em termos regionais, o número de CDs no Estado é muito maior do que o preconizado pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

O crescimento excessivo na quantidade de cursos de graduação se dá, essencialmente, no setor privado, e em regiões excesso de profissionais. Os fatos revelam o aspecto mercantilista da intenção.

Dados

· Comparando o número de cirurgiões-dentistas no Rio Grande do Sul, com levantamento feito em 30 países ricos pela Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), Estado teria mais profissionais do que o líder do ranking, a Grécia, com 127 dentistas por 100 mil pessoas;

· Em 25 anos, nove novos cursos no Estado;

· Os CDs em atuação hoje no Estado representam um profissional para cada 681 habitantes, levando-se em conta a estimativa de população de 2014;

· A população continua com doenças bucais, com prótese por fazer, com dentes para extrair. O acesso está longe da plenitude.

Compartilhe!